Blogue acerca da terra, das pessoas, dos costumes e da História de PADORNELO, freguesia do concelho de Paredes de Coura, distrito de Viana do Castelo, publicado por JOFRE DE LIMA MONTEIRO ALVES.

.Capela das Angústias

.Capela do Amparo

.Correio Electrónico

Contacto via jofrealves@sapo.pt

.Os Meus Blogues

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Artigos Recentes

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. FALECEU O ANTÓNIO LIMA

. FALECEU O ALBERTO RODRIGU...

. FALECEU O SR. FERNANDO PE...

.Arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.Temas

. todas as tags

.LIGAÇÕES


.subscrever feeds

blogs SAPO
Quarta-feira, 27 de Setembro de 2006

Um Museu da Educação Para Paredes de Coura

Por: Jofre de Lima Monteiro Alves

 

    Com a recente inauguração do edifício da Escola do 1.º Ciclo de Paredes de Coura e o conse­quente encerramento das antigas escolas primárias espalhadas pelas freguesias, o município ficou detentor dum património para o qual se perspectivam diversas alternativas de utilização, todas elas certamente interessantes.

 

    Umas das soluções para a ocupação desse espaço seria a instalação dum museu escolar e da educação, e para o qual e devido à sua situação geográfica de proximidade com a sede de conce­lho, o sítio ideal seria na antiga escola dos Tojais, lugar da freguesia de Padornelo. Ou em outra freguesia rural, como medida descentralizadora.

 

    Esse museu serviria para a recolha, conservação e museolização de todo o acervo patrimonial dos séculos XIX e XX. E teríamos tanto, tanto para expor. A quantidade e qualidade de material a tratar e exibir seria de uma suprema mais valia para o concelho. As cantigas infantis, lengalengas, os livros e materiais didácticos da nossa infância e dos nossos filhos, pais e avós, as carteiras e cadeiras por onde passaram sucessivas gerações, as ardósias e até as famigeradas palmatórias.

 

    Os cadernos de apontamentos de alguns alunos, as sacolas de serapilheira e pastas para trans­portar os livros, as lancheiras de lata onde era colocada a merenda, antes desta se passar a chamar lanche. Enfim todo uma série infindável de documentos e de património que sendo de todos nós, são na realidade pedaços da nossa infância e juventude.

 

    Para este interessante espaço museológico seria carreado todo o material legislativo dos sécu­los XIX e XX, livros de matrículas de alunos do concelho, programas do magistério primário. Todos os documentos e materiais passíveis de interessar a uma iniciativa desta natureza, seriam recuperados e conservados para memória futura.

 

    O museu em si conteria núcleos da escola pública da 1.ª Republica, do Estado Novo, e depois do 25 de Abril, ilustrados com fotografias e biografias de pedagogos courenses ou que trabalharam entre nós. Teríamos, assim, pelos menos três núcleos de natureza diversa, a retratar cada época.

 

    Nesses núcleos – por exemplo o do Estado Novo –, uma sala de aulas seria reproduzida na integra, e recheada com a secretária da professora, as carteiras e cadeiras dos alunos, o quadro negro e os paus de giz, o ponteiro, os manuais, as réguas de madeira, as ardósias, as palmatórias ao lado da longa cana, as famosas “orelhas de burro” usadas para enfeitar a cabeças dos premia­dos pelo azedume do professor ou dos pouco bafejados.

 

    Os castigos e maltratos a que as crianças estavam sujeitas, faziam parte do conceito de escola e educação de então. E ainda as canetas de aparo, os tinteiros, as paredes repletas de mapas geográ­ficos, e toda a simbologia que então enquadrava a escola, tais como a bandeira, o crucifixo, os retratos, em­bora estas coisas me tragam algum arrepio, como elementos figurativos da História e da época seriam im­prescindíveis.

 

    Para complementar, o museu seria enriquecido com um espaço lúdico com brinquedos da época, pois brincar também é aprender. Um espaço misto com cafetaria e livraria para venda de material diverso, e outro espaço destinado a exposições temporárias. E a ligação à escola e à comunidade com uma série de actividades programadas.

 

    Sem sombra de dúvida, um factor importante para a promoção e desenvolvimento do espaço rural. Para além disso seria na realidade um interessante projecto de dinamização cultural e pedagógico em conexão com a escola de hoje. Uma romaria de saudade de avós, pais, filhos e netos. E para Paredes de Coura um indiscutível investimento de sobeja categoria.

 

NOTA: este artigo foi escrito em Dezembro de 2004.

 Escola primária de Padornelo

Antiga escola primária de Padornelo, em Dezembro de 2005.

Temas:
publicado por Jofre de Lima Monteiro Alves às 03:03
Regressar ao Topo | Comentar | Adicionar aos favoritos