Blogue acerca da terra, das pessoas, dos costumes e da História de PADORNELO, freguesia do concelho de Paredes de Coura, distrito de Viana do Castelo, publicado por JOFRE DE LIMA MONTEIRO ALVES.

.Capela das Angústias

.Capela do Amparo

.Correio Electrónico

Contacto via jofrealves@sapo.pt

.Os Meus Blogues

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Artigos Recentes

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. PADORNELO NAS JANEIRAS DE...

. FALECEU O ANTÓNIO LIMA

. FALECEU O ALBERTO RODRIGU...

. FALECEU O SR. FERNANDO PE...

.Arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.Temas

. todas as tags

.LIGAÇÕES


.subscrever feeds

blogs SAPO
Segunda-feira, 5 de Março de 2007

CENTRO PAROQUIAL E SOCIAL – PADORNELO, PARADA, MOZELOS – PAREDES DE COURA

Um bálsamo para os mais desfavorecidos

 

    Dar qualidade de vida aos idosos é o lema deste grupo de instituições localizadas nas freguesias de Padornelo, Parada e Mozelos. Situadas no concelho de Paredes de Coura, os três edifícios funcionam como uma segunda casa para muitos idosos e caracterizam-se essencialmente pelo sossego e pela paisagem verdejante que os envolve.

 

    Basta entrar para comprovar que este grupo de instituições funciona como uma segunda família para os idosos. As instituições surgiram por força de uma necessidade da população, como nos contam o padre José Domingos Meira e a directora técnica Elisabete Paixão, em entrevista ao jornal «O Primeiro de Janeiro».

 

    Os nossos entrevistados explicam que são três instituições distintas ligadas ao mesmo pároco e ligadas entre si, dado que trabalham em conjunto por um objectivo comum – o bem-estar das populações.

 

    Falamos dos Centros Paroquiais e Sociais de Padornelo, Parada e Mozelos, são três instituições diferentes, quer pelas valências que possuem, quer pelas suas dimensões.

 

    "O Centro Paroquial e Social de Parada possui apenas um centro de convívio, anteriormente tinha um ATL, que entretanto encerrou devido ao prolongamento de horário nas escolas", revela o padre José Domingos Meira. Já o Centro Paroquial e Social de Padornelo possui a valência de centro de dia e de apoio domiciliário às três paróquias e ainda a mais duas que não possuem este serviço, nomeadamente, Insalde e Porreiras.

 

    Por último, o Centro Paroquial e Social de Mozelos é o de maior dimensão e também o que oferece um maior número de valências aos utentes, nomeadamente, o lar.

 

    Esta é a valência que, de acordo com a directora técnica, regista uma maior procura e para a qual existe uma lista de espera de cerca de 80 utentes de todo o concelho, sendo que a instituição apenas tem ao dispor da população 19 camas.


    O centro de dia e o apoio domiciliário são outras das valências disponibilizadas pelo Centro Paroquial e Social de Mozelos, bem como os serviços dedicados à infância, concretamente, com uma creche que acolhe crianças dos quatro meses aos três anos de idade. Para além disso, esta instituição presta também serviço ao infantário, assegurando o Prolongamento, o almoço e o transporte das crianças.

 

    Neste sentido, podemos dizer que estes três centros assumem uma posição preponderante e um peso bastante significativo, quer nas freguesias onde se inserem, quer no próprio concelho de Paredes de Coura.


    Na totalidade, os três centros contam com o empenho, profissionalismo e dedicação de 27 funcionários. Neste capítulo, os nossos entrevistados revelam: "Actualmente, temos tido uma maior preocupação com a admissão de funcionários para trabalhar nas instituições, nomeadamente, com formação profissional adequada".


    Para fazer face aos seus desafios e ao dia-a-dia, estas instituições contam com o grande apoio da Segurança Social, no fundo o seu grande meio de subsistência.

 

    A contribuição dos idosos é outro dos meios de rendimento, mas que representa um valor simbólico, uma vez que as reformas são irrisórias. O apoio das comunidades com os seus donativos e os sócios dos centros paroquiais e sociais são outras fontes de rendimento destes centros.


    Quando questionado acerca da necessidade do Estado ter um olhar mais atento para a Acção Social na sua globalidade e, para este género de instituições, em concreto, José Domingos Meira considera que a Segurança Social dentro das suas possibilidades apoia estas instituições, mas à luz da situação que o País vive torna-se mais difícil e mais limitado esse apoio.

 

    "No entanto, parece-me mais complicado começar algo de novo, como alguns colegas de outras paróquias pretendem, ao passo que manter uma infra-estrutura, apesar de difícil, assume-se como uma tarefa mais simplificada".

 

Convívio inter-geracional


    Uma vez que disponibilizam serviços aos idosos e às crianças, estas instituições têm a preocupação em desenvolver iniciativas que promovam o convívio inter-geracional, "um factor que ajuda os mais idosos a encarar o futuro com mais alento e alegria".


    Elisabete Paixão fala do Projecto de Intervenção que planifica as diversas actividades, como por exemplo as Janeiras, o Carnaval, a Desfolhada, o Dia do Pai, o Dia da Mãe, o Magusto e a Festa de Natal, bem como da participação na feira mostra promovida pela Câmara Municipal de Paredes de Coura, "onde mostrámos os trabalhos realizados pelos idosos, que assim se sentem activos e mais úteis. Esta é uma forma de os inserir na comunidade e fazê-los reviver, de alguma forma, um pouco do que foi a sua vida em outros tempos", sublinha.


    Relativamente à Creche, foi implementado o Projecto Educativo intitulado "A Vida dos Animais". Tem por principal objectivo proporcionar às crianças um desenvolvimento global, harmonioso, desenvolvendo todas as suas capacidades quer na vertente pessoal, quer social. É através do seu próprio corpo que a criança se relaciona com o meio ambiente, por isso tem que aprender a conhecê-lo e a controlá-lo.

 

    Será através dos diversos sentidos que a criança poderá conhecer melhor o mundo dos animais, principalmente daqueles que vivem na sua localidade. Pretende-se também através deste Projecto levar os pais a participarem em actividades com as crianças, de modo a criar um ambiente mais favorável à criança.


    Estas instituições continuam a posicionar-se com os seus valores iniciais. Uma postura muito próxima dos utentes, onde se valoriza a relação de confiança e afecto, faz destas entidades espaços extremamente acolhedores.

 

    Com as portas abertas para os familiares e para a comunidade em geral, tentam mostrar que a terceira idade deve ser enaltecida. A alma destas casas deixa transparecer um brilho que pode ser encontrado no olhar de cada utente. Deste modo, os responsáveis deste grupo de centros paroquiais e sociais fazem um balanço extremamente positivo.


O lar como um fim «(des) necessário»


    Para o pároco José Domingos Meira, a valência de lar assume-se como um fim «(des) necessário», uma vez que a sua existência torna-se, cada vez mais impreterível, dado o gradual envelhecimento das populações.

 

    No entanto, considera que o lar deverá ser a última alternativa, até porque os idosos numa primeira fase resistem ao facto de terem que sair da sua casa. Preferia que tudo se resolvesse apenas com o centro de dia e o apoio domiciliário, mas a falta de autonomia e apoio familiar de alguns idosos exige a existência de um lar como cuidado de retaguarda.

 

Serviço incomensurável


    O padre José Domingos Meira sublinha que estas instituições e as suas valências prestam um serviço verdadeiramente incomensurável à comunidade, não só das três freguesias onde se inserem, mas do próprio concelho. "Prestamos um serviço de qualidade e queremos continuar no rumo da melhoria contínua. Sinto que tenho o apoio das pessoas para fazer cada vez mais e melhor", salienta.


    No que se refere ao futuro, os objectivos são claros, passam essencialmente por melhoramentos exteriores nas três instituições e por aumentar a valência de lar, por forma a dar uma resposta mais capaz aos idosos.

 

Notícia do jornal O PRIMEIRO DE JANEIRO, de 5 de Março de 2007

 

http://www.oprimeirodejaneiro.pt/

 

Temas:
publicado por Jofre de Lima Monteiro Alves às 18:43
Regressar ao Topo | Adicionar aos favoritos
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.